ALMAS ESPECIAIS

Cadastre-se e receba novidades por email

Ocorreu um erro neste gadget

DIVULGUEM - Associação Mineira de Hipertensão Pulmonar

09 janeiro 2010

SOU FÊNIX

Clecilene Carvalho

imagem wordpress

Ressurjo das cinzas,
Quero voar e cessar a falta
Que a alma exala
E o corpo faz tremer.

Desperto e estou tomada
Do desejo que aflora
O rosto tenta, mas os olhos
Não conseguem esconder.

Há momentos em que a alma chora,
Os olhos de dor imploram,
A vontade de verdadeiramente poder sorrir.

Mas faltam forças, coragem
Vontade de lutar
Então, estou entregue, mas não é o fim.

7 comentários:

  1. Me vi dentro de sua poesia, muito linda.

    Obrigada pelo carinho lá no Rabiscos.

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Igualzinho a Majoli, também me vi dentro da sua poesia. Sentindo "a vontade de verdadeiramente poder sorrir". Totalmente entregue. E sabe por que não é o fim? Porque é nesta entrega que a gente deixa de exercer o controle deixando que Deus tome conta.
    Lembre-se que vc eliminou algumas "pedras" no caminho... rsrs
    Bjusss

    ResponderExcluir
  3. Se entregar jamis por pior que possa imaginar seu problema haverá de poder voar mais alto, um abraço Lisette.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pela visita meninas. Que bom tê-las aqui!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá Cleciline,
    Gostei muito deste poema, mas nunca poderá ser o fim.
    Tenha um bom final de semana,
    um beijinho

    ResponderExcluir
  6. É escrevendo que você vai colocando pra fora seus questionamentos e a resposta sempre está dentro do próprio conflito. Falar no assunto é o melhor que tem que fazer. Todos nós nos sentimos assim muitas e muitas vezes e incendiamos de tanto esquentar a cabeça buscando a solução para tristeza, frustração e inquietação. A vida sempre nos dá forças para ressurgirmos das cinzas com muito mais força e coragem. tanto é que estamos aqui crescendo, trocando idéias, buscando respostas. Olhe para sua filha e veja quando ela recebe um prémio, seja ele qual for,afeto, ternura,boneca,uma sapatilha...Veja o que ela passa,aquela plenitude como se todo o ser dela vibrasse alegria.Ela fica alegre e até gargalha de felicidade. É isso que fazemos.Procuramos essa plenitude que existe dentro da gente e adormeceu. Damos poder para que o mundo externo a leve de nós.Alguém que nos humilhou,que não atingiu a expectativa que depositamos,não houve retorno do que investimos...O beijo que não ganhamos...O elogiu...Acabamos dando enfoque no que deu errado e tudo aquilo que deu certo, não celebramos,daí a ausência de alegria.Nossa...falei demais...desculpe-me...claro que todo mundo se ve no seu poema,na verdade estou falando comigo rs....bjão

    ResponderExcluir
  7. Clecilene,
    Lindo texto, dizendo com alma e coração suas realidades, sonhos, seu jeito de ser e sentir. Nunca temos todas as respostas nessa vida, somos humanos e limitados, mas é assim nas verdades e nos melhores sentimentos, que crescemos, superamos, e temos todas as chances de nos tornamos mais integrados, coerentes e humanos. Obrigado pela sua presença amiga em nossos blogs, pelos comentários, pela força, pelas boas energias, nos incentivando a seguir em frente e fazer sempre o melhor. Abraço/ney.

    ResponderExcluir

Deixe aqui suas Falas da alma. Obrigada e volte sempre.

VOLTE SEMPRE

Leve-me com vc - Presente da Majoli

Loading...